Você realmente sabe os valores do Natal?


familia-natal-shutterstock_images1

O Natal chegando…

Tempo de festa, de celebrar o amor, a amizade e a paz.

Contudo me vejo conjecturando sobre as incongruências e incoerências que movem esta comemoração.

Constato tristemente que ao invés de confraternização temos “gastação”, ou seja comprar e comprar, talvez o que não necessita ,uma verdadeira compulsão doentia, incentivando, inclusive, nossas crianças a se tornarem exigentes e eternamente insatisfeitas, num agigantado consumismo.
A festa que seria de abraços e afeto torna-se troca de presentes, com exibicionismo e competição. A Ceia que seria uma homenagem ao nascimento de Cristo, se resume nos pratos elaborados e oferecidos.

Não sou saudosista, mas quebro a regra dizendo que sinto saudades dos Natais a moda antiga onde existia solidariedade, fortes abraços fraternos, risadas espontâneas, pouca pressa de ir embora e um simbólico amigo-secreto com preços fixos irrisórios.

A simplicidade e espontaneidade são mais confortáveis, mais vida!

Temos que repensar o caráter comercial, frio, que nos é imposto.

Espero que essas minhas palavras consigam lhes tocar o coração. E assim, que nessa data especial aproveitem  o momento precioso de estar próximo de pessoas queridas e importantes.

Dê mais valor à presença daquele que está ali sentado ao seu lado na mesa. Dê mais valor e atenção ao toque dos abraços, às palavras ouvidas, ao cheiro e sabor da comida, e na visão da inocência das crianças, que já fomos um dia, acreditando na mágica do Papai Noel criado pela indústria consumista. Trabalhe seus 5 sentidos.

Fico comovido e entristecido pelos valores familiares perdidos no tempo. Troca-se a presença pelo mundo virtual. Troca-se os livros e histórias infantis por televisão e tablets. Troca-se o afeto paterno e materno por babás e cuidadores.

É tempo de perdoar. É tempo de dizer eu te amo. É tempo de contar uma bela história motivacional para as nossas crianças, e lhes trabalhar a criatividade e imaginação. É tempo de dizer ao nossos pais, em muitos casos já velhinhos, palavras bonitas que sempre tivemos vontade de falar, porém nunca falamos. Será que os mesmos ainda estarão entre nós no próximo ano?

Por fim, caso não receba um presente de Natal esperado, dê um grande e longo abraço – e até um beijo – agradeça àquela pessoa por estar ali naquele momento. Presentes embruchristmas-of-jesuslhados serão logo esquecidos e se liquefazem no tempo. As boas lembranças nos fortalecem e são condutoras de saudáveis recordações e exemplos se retidas com prazer em nossas mentes.

 

Um grande abraço. Um belíssimo Natal.

dr_kleiner_assinatura

 

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Coloque como um objetivo em sua vida a prática de meditação.Clique em Quero começar a meditar. 

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………

Comentários

comentarios