Tudo que você precisa saber sobre: Jejum Intermitente e Restrição Calórica


Estudos sugerem ser possível otimizar tanto funções cerebrais, quanto longevidade e envelhecimento saudável através de restrição de calorias e jejum por períodos intermitentes. É perceptível que a memória e a função cognitiva são elevadas ao diminuir a quantidade de calorias ingeridas.

O jejum ativa os genes que ajudam as células a sobreviver, pois reduz as inflamações. A restrição calórica pode também ser saudável para os nervos e auxiliar a memória e funções cognitivas. Comer menos calorias do que o orientado pela Taxa de Metabolismo Basal (TMB) permite que o seu cérebro crie novos neurônios através da diminuição de radicais livres, aumentando assim, a habilidade de gerar Trifosfato de adenosina (ATP) e aumentar o número de mitocôndrias presentes. O que pode ser melhor? Estudos em animais mostram uma diminuição de incidentes de Alzheimer e Mal de Parkinson associados à restrição calórica.

 

img1

 

Ao invés de restringir calorias todos os dias, o jejum intermitente é outra forma de desencadear essas mudanças. Isso significa que ao reduzir a ingestão de alimentos ao longo de um período de 24 horas. Um exemplo de como isso pode ser feito é comendo apenas vegetais que totalizem 600 calorias por dia.

Outra forma é evitar comida por um dia, não se esquecendo de beber a quantidade apropriada de água. Um jejum de 12 horas de duração, entre o jantar e o café da manhã é outra forma muito eficiente de realizar o jejum, e o melhor, requer pouca preparação! Especialistas sugerem que você faça uma vez a cada três semanas, mas sempre confirme com seu médico. É provável que ele tenha recomendações específicas para você.

 

Comentários

comentarios